Posts tagged ‘obesidade’

Ano novo e a promessa de emagrecer

balanca

Com o novo ano iniciado vem as promessas. Uma das principais sempre é a perda de peso.
Acontece que não basta o ano mudar, a mudança tem que ser em nós mesmos. Mudar não é fácil, requer força de vontade, requer deixar para trás velhos hábitos, encarar novas situações. (e aplique isso a qualquer mudança, não somente aos hábitos alimentares).

Mas como fazer essa mudança quando se trata de alimentação, um hábito que adquirimos lá atrás na nossa infância quando tivemos os primeiros contatos com os alimentos que, nem sempre, foram os mais adequados?
Não acho que exista uma resposta definitiva pra essa questão, mas acredito que algumas atitudes podem ajudar.

Estar aberto à mudança, não adianta ser “da boca pra fora”.
Estar aberto significa estar disposto a experimentar “novos” alimentos. Assim, faça de conta que você voltou no tempo e está conhecendo aquele alimento pela primeira vez, mesmo que isto não seja verdade. Dê uma nova chance e experimente de novo aquele alimento que você sempre pensou não gostar, e dar uma nova chance não é apenas uma, mas várias chances. Uma hora, você irá perceber que existem alguns alimentos que não são tão ruins assim.
Da mesma forma, comece a refletir sobre alguns alimentos que não são saudáveis. Algumas sugestões de perguntas: será que precisa mesmo tomar aquele refrigerante? Por que macarrão instantâneo, se macarrão tradicional também é rápido de fazer? Precisa mesmo comer o pacote de biscoito inteiro, será que apenas 3 não seriam suficientes? Por que substituir um prato de arroz com feijão, salada, filé de frango (apenas um exemplo de almoço) por um sanduíche? Preço? Será que é tão mais barato esse custo x benefício?

Mas calma, isso não é do dia pra noite! Assim, deixe a ansiedade de lado e não queira resultados do dia pra noite (geralmente quem perde peso rápido, também retorna ao peso rapidamente).
Mudar os hábitos alimentares de repente pode ser um choque, pode levar a falta de prazer na hora de se alimentar e não é isso que queremos, certo? Tudo no seu tempo, não tenha pressa e não se restrinja demais. Deu vontade de comer um doce? Satisfaça a vontade, não existem alimentos proibidos, não existe o “alimento ruim”, “alimento bom”, existe o equilíbrio, coma o doce, mas novamente, reflita no tamanho da porção, se realmente precisa ser a barra de chocolate inteira, por exemplo.

Mude o foco! Não buscar o peso adequado simplesmente com a preocupação na aparência!
Foque na saúde, pense no que sua saúde irá ganhar com os novos hábitos de alimentação! Infelizmente, vivemos em uma sociedade que tem focado muito num padrão de beleza magro, mas a preocupação verdadeira é que a obesidade é uma doença, não é puramente uma questão estética. É esta exigência pela aparência que leva as pessoas a buscarem “fórmula mágicas”, recorrendo a dietas muito restritivas, medicamentos com diversos efeitos colaterais e até mesmo a cirurgia bariátrica (claro que existem os casos necessários, mas muitas pessoas tem recorrido a este método sem a real necessidade de se submeter a isso).

Termino reforçando que cada caso é um caso e não existe a tal “fórmula mágica” (nem dietas de revista, alimentos milagrosos, pílulas incríveis). Da mesma forma que a obesidade tem múltiplas causas, o tratamento também é complexo e deve acontecer de forma multiprofissional. Estas são apenas algumas reflexões que coloco aqui, o ideal é buscar ajuda de um profissional.

Anúncios

19/01/2015 at 3:14 pm 2 comentários

O que vc faria para emagrecer?

fita

A cada dia vejo uma novidade para quem quer emagrecer, a última polêmica tinha sido a dieta por sonda (normalmente utilizada para pessoas em risco nutricional no hospital, com prejuízo na ingestão de alimentos, com graves problemas de saúde). Agora, vi a notícia de uma espécie de “atadura” que é colocada na língua da pessoa (pela imagem parece costurada). A pessoa sente dor ao comer alimentos sólidos e então tem que se alimentar de líquidos e emagrece. Além da dor, tem os efeitos colaterais de problemas na fala e no sono.

No hospital, o Nutricionista tem grande dificuldade em equilibrar uma dieta líquida/ pastosa para um paciente que não consegue ingerir sólidos, é necessário usar de suplementos calóricos, de módulos de fibras para que o intestino do paciente funcione, além da preocupação com a perda de peso deste paciente. O Nutricionista trabalha para evoluir esta dieta, ou seja, sair do padrão líquido/ pastoso para os sólidos o mais rápido possível, pois a perda de peso é muito rápida e engana-se quem ache que esta perda de peso seja saudável.

Então, além da dor, do problema para dormir e falar, a atadura na língua ainda poderia trazer problemas sérios para a saúde dessas pessoas. No fim da história, o custo (para a saúde principalmente) desse emagrecimento pode ser muito alto.

Sei que emagrecer não é fácil, a mudança de hábitos alimentares depende de muitos fatores e é um processo longo. Mas pergunto: é mais fácil passar por um processo tão doloroso e prejudicial a saúde? Até onde vc iria para conseguir um resultado rápido?

Pessoas que estão buscando por um milagre para emagrecer, por resultados rápidos são vítimas dos padrões de beleza impostos pela sociedade. Elas ainda não se deram conta de que a perda de peso é importante pelo fato da obesidade ser uma doença, que traz com ela maior risco de parada cardíaca, problemas nas articulações, Diabetes, Hipertensão, entre outras doenças associadas.

Enquanto a obesidade for encarada por muitos somente como um problema estético, os “métodos milagrosos” serão colocados em prática e colocarão em risco ainda maior a saúde das pessoas. Não entendo como estes procedimentos podem ser difundidos por médicos, eles sabem que não existem milagres, não deveriam alimentar essa busca, deveriam conscientizar as pessoas para a doença Obesidade.

Assim, fica aí para a reflexão de quem está querendo perder peso: vc se importa com a sua saúde? Então mude seu estilo de vida, comece mudar aos poucos, mudar o estilo de vida tb não é um milagre, é uma mudança que deve ser colocada em prática aos poucos, até tornar-se parte de sua nova e saudável vida, acredite que este é sim o caminha mais fácil.

*Texto de autoria própria. Caso o reproduza por completo ou em partes coloque os créditos e me informe.

Posts relacionados: “O principal investimento na saúde é alimentar-se bem” e “A mídia e o possível prejuízo a saúde”

11/06/2013 at 4:45 pm Deixe um comentário

Muito além do peso

Image

A alta prevalência de sobrepeso e obesidade nas crianças já não é novidade para muitos.  Mas quantos já refletiram se o que comemos hoje é alimento? Quantos sabem o que é realmente um “alimento saudável”?

Um pouco dessa reflexão eu procuro passar em cada texto que escrevo e hoje convido a assistir ao filme “Muito Além do Peso”. Não somente assista, mas traga as reflexões para sua vida e de sua família, para a vida de seus amigos.

Assista e compartilhe, acesse o site:

http://www.muitoalemdopeso.com.br/

Leia também: O principal investimento na saúde é alimentar-se bem

07/03/2013 at 12:13 pm Deixe um comentário

O sódio que você não vê…

Reduzir a quantidade de sal utilizada na cozinha já é de conhecimento de muita gente para prevenir a hipertensão (pressão alta). Mas o verdadeiro culpado não é o sal, é o sódio. A recomendação de sódio pela OMS é de 5 g diários. No sal de cozinha, cada grama de sal possui 400 mg de sódio e a recomendação é que não se utilize mais que 2g de sal por dia (2 sachês daqueles disponíveis nos restaurantes).  O problema é que a população brasileira utiliza o dobro desta quantidade e, além disso, ainda consome produtos industrializados cada vez mais (dados confirmados na última POF).

O sal é utilizado como conservante dos alimentos, assim a indústria o utiliza em excesso, o que contribui para aumentar ainda mais o risco de hipertensão. Mas a indústria utiliza outros aditivos que possuem sódio. Assim, é muito importante ficar atento às informações de ingredientes e à tabela nutricional destes alimentos, pois muitas vezes a informação voltada para o marketing do produto pode enganar o consumidor.

Já me deparei com um alimento industrializado que dizia “ZERO SAL” no rótulo, fiquei curiosa, porque era um produto que o sal é praticamente “obrigatório” entre os ingredientes. Assim, fui olhar a lista de ingredientes e, realmente, não havia sal, mas havia glutamato monossódico. Este aditivo é utilizado amplamente pela indústria para realçar o sabor dos alimentos e que, como o nome diz “sódico”, é derivado de sódio!  Zero sal sim, mas zero sódio? Passa longe disso!

Então, cuidado! Muitos industrializados utilizam o sal mais o glutamato monossódico, ou seja, sódio em dobro! Outros ingredientes que contém sódio (mas não aparecem com nome de sal) e também são bastante utilizados pela indústria: bicarbonato de sódio, ciclamato de sódio (principalmente produtos diet/ light/zero açúcar) e cloreto de sódio.

Produtos industrializados que contém grande quantidade de sódio são os caldos (de legumes, de galinha, de carne, etc).  Particularmente, acho a recomendação de uso dos fabricantes “bem salgadinha” e minha dica é: procure pelo caldo em pó, e coloque apenas um pouquinho daquele saquinho (pouquinho mesmo, menos da metade! Faço, pelo menos, umas 5 preparações com um saquinho só). Além disso, adicione outras ervas como manjericão, orégano, alecrim para dar sabor à sua comida e procure utilizar o alho na sua forma natural, fuja daqueles potinhos prontos, mesmo a versão sem sal costuma utilizar um conservante a base de sódio.

Outro ponto importante: o sódio não é encontrado apenas nos produtos salgados. Pó para gelatina, misturas para bolos prontos, sucos em pó, tortas doces congeladas, todos tem sódio.

Desta forma, se quer prevenir a Hipertensão, não basta diminuir o sal que você utiliza, mas tem que prestar (muita) atenção aos rótulos dos produtos industrializados.

A saber…

Hipertensão, ou pressão alta, é o aumento da pressão sanguínea. É uma doença silenciosa e muitos não sabem que a possuem ou não sabem dos problemas maiores que ela pode causar, levando à falta de tratamento e piora da saúde.  Algumas consequências do aumento da pressão arterial são: maior risco de acidente vascular encefálico, alteração no funcionamento dos rins (insuficiência renal) e insuficiência cardíaca. Entre os fatores de risco estão, além da predisposição genética, a obesidade e a ingestão de sódio.

Assim, estar no peso ideal e diminuir o consumo de sódio podem evitar que este problema faça parte de sua vida, mesmo que exista a genética da família!

Para saber mais:

VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão

*Texto de autoria própria. Caso o reproduza por completo ou em partes coloque os créditos e me informe.

Leia também: A ilusão do “Zero” ; Entendendo o rótulo dos alimentos

26/04/2012 at 1:23 pm Deixe um comentário


Tópicos recentes

Calendário

outubro 2017
S T Q Q S S D
« jan    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Acessos

  • 40,748 hits

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.


%d blogueiros gostam disto: