Propriedades da Acelga

Acelga

05/07/2014 at 7:25 pm Deixe um comentário

Lasanha pode fazer parte do seu cardápio

Difícil encontrar quem não goste de massas, principalmente de lasanha. Mas muitas pessoas acabam se “auto-proibindo” de comer por acreditar que ela será responsável por quilos a mais na balança.

Como já falei em outras postagens, acredito na alimentação equilibrada, não gosto de restrições radicais. A lasanha pode ser incluída no cardápio sim, e existem opções de recheio que podem deixá-la mais saudável.

Apresento uma lasanha que fiz com recheio de espinafre, brócolis e palmito. A receita está nas quantidades que utilizei e serve como inspiração, mas os temperos do recheio ficam “à sua moda”, não é preciso seguir a risca.

Lasanha de espinafre, brócolis e palmito

Lasanha de espinafre, brócolis e palmito

Lasanha de espinafre, brócolis e palmito

Ingredientes:

1/2 pacote (250g) de massa fresca para lasanha (pode ser a massa seca também, porém o tempo de forno é maior)
1 xícara de espinafre
1 vidro de palmito
2 xícaras de brócolis
500 g de queijo muçarela ralado (se desejar uma receita com menos calorias, substitua por ricota ou cottage)
Alho, cebola, Salsa à gosto
Queijo parmesão ralado (quantidade para salpicar e colocar para gratinar)

Para o molho branco:

1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de farinha de trigo
500 ml de leite desnatado
3 colheres de sopa de queijo parmesão ralado

Modo de preparo:

Vou tentar explicar por partes. Pode parecer complicado e trabalhoso, mas não é.

1- O espinafre, após lavado e retirado os talos (guarde-os e aproveite em caldos, sopas, feijão, são muito nutritivos), refogue rapidamente em uma panela com um fio de azeite e alho picado. Reserve;
2- Lave o brócolis, cozinhe para ficar macio (no vapor é mais rápido e mantém melhor os nutrientes). Pique-o e pique o palmito. Em uma panela, faça um refogado com tomate, alho, cebola e temperos a seu gosto (eu usei páprica picante, salsa, orégano e manjericão), coloque o brócolis e o palmito e deixe até que peguem sabor. Reserve;
3- Molho branco: coloque a manteiga e a farinha e fogo baixo, com a ajuda de um fouet (veja imagem no fim do post ), mexa bem. Quando estiver dourado, vá adicionando o leite bem lentamente e mexendo (este processo é bem importante para que não forme grumos). Quando você perceber que a farinha está bem dissolvida no leite, pode colocar o restante de uma vez, e ir mexendo até que o molho fique encorpado, adicionando o queijo parmesão ao final (é opcional, ajuda a dar sabor, mas se quiser deixar o seu molho com menos calorias, não utilize). Não deixe engrossar muito, pois a massa da lasanha precisa ser bem úmida e esta será a função do molho. Uma dica: adicione uma colher (de chá) de cúrcuma (açafrão-da-terra), é um tempero que tem sido cada vez mais estudado e tem mostrado propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e anticancerígenas, entrando na lista de alimentos funcionais;

4- Montagem:

– Pré-aqueça o forno;
– Coloque o espinafre refogado dentro do molho branco;
– Em uma forma (ou pirex de vidro resistente à temperatura), coloque um pouco do molho no fundo e faça a montagem da seguinte maneira: massa, molho, recheio de brócolis e palmito, queijo, massa, molho, recheio de brócolis e palmito, queijo, massa, molho. Salpique queijo parmesão e muçarela. (PS: A sua lasanha pode ter mais camadas, lembre-se sempre que o molho tem que estar em contato direto com a massa e se fizer ela maior, aumente a quantidade de molho e recheio);
– Cubra com papel alumínio e leve ao forno a 280ºC. O tempo de forno irá depender da massa, leia as instruções do fabricante. Após o tempo sugerido pelo fabricante, retire o papel alumínio e deixe mais 5 minutos para gratinar.

5- Servir.

Experimente e conte aqui no blog!

E para quem não conhece, este é o Fouet:

Fouet

 

 

 

 

04/06/2014 at 10:45 am 4 comentários

Suplementos x Atividade Física

musculos

Imagine a seguinte situação: você começou a academia e está todo(a) animado(a). No primeiro dia, percebe que a grande maioria termina seu treino e bebe alguma coisa em seguida. Então, um dos colegas te recomenda usar Whey Protein, diz que toma sempre depois do treino, e também antes de dormir e no café-da-manhã e que está funcionando. Provavelmente você ficará com vontade de experimentar e, se for preocupado(a) com a saúde, irá ter certo receio. O que fazer?

Primeiramente, o ideal é buscar a orientação de um Nutricionista. O consumo do suplemento sem orientação especializada e sem alterações na dieta pode não trazer os resultados esperados e ser apenas um desperdício de dinheiro, pois custam caro.

Outro ponto importante a ser considerado é que os estudos mostram que se um atleta (aquela pessoa que treina para competir, ou seja, um jogador de futebol profissional,  um campeão olímpico por exemplo) consumir mais de 2g de proteína por kg de peso por dia (ex: se o atleta pesa 50 kg, precisa de 100g de proteína) não terá nenhum benefício, a proteína é desperdiçada. Assim, os estudos não mostram benefício algum no consumo de mais de 2g de proteína por kg de peso, ou seja, a ideia de que “quanto mais proteína consumir, mais músculos” é totalmente equivocada. Além disso, cabe perguntar: se órgãos respeitados, que fizeram diversos estudos, preconizam que o uso de suplementos deve ser feito por atletas, por que o uso frequente por pessoas que apenas fazem musculação?

Não sou contra o uso de suplementos, mas como o nome já diz, é um suplemento, desta forma é necessário avaliar a necessidade de cada um. O custo do suplemento é alto e nossa dieta é totalmente capaz de atender ao requerimento de proteínas que nosso corpo precisa, mesmo quando fazemos academia e queremos ganhar massa muscular.  A vantagem do uso do Whey Protein, por exemplo, é que ele não tem as gorduras presentes em um pedaço de bife ou em um copo de leite e o organismo de fato absorve e aproveita melhor esta proteína, além de sua praticidade em relação aos alimentos.

O grande problema da suplementação sem orientação adequada é que a dieta não sofre modificações e o consumo do suplemento  é, por muitas vezes, excessivo. Além disso, a proteína presente na dieta do brasileiro já costuma estar acima do recomendado. Assim sendo temos: excesso de proteínas da dieta + excesso de proteínas dos suplementos. Benefícios disso? Estudos não mostram benefícios. O corpo não armazena proteínas (a não ser transformando-as em gordura, que não é o que buscam os consumidores de suplementos) e o produto da metabolização das mesmas vai para os rins e é eliminado na urina (junto com o investimento, lembrando o alto custo do suplemento).

Acrescentando, embora os estudos não sejam conclusivos de que pessoas com rins saudáveis possam ter problemas renais devido a alta ingestão de proteínas, devemos pensar que o uso abundante de suplementos proteicos é algo recente (nunca existiram tantas lojas de suplementos como se vê hoje). Assim, pessoalmente considero até irresponsável afirmar que não há riscos, pois não temos estudos com o uso desses suplementos a longo prazo, ou com o uso em excesso e/ ou com o uso feito pelos adolescentes.  

Aproveitando que hoje é o Dia Mundial do Rim. Pensando na questão  de proteínas em excesso X rins: não existem estudos que comprovem que a sobrecarga prejudique um rim saudável. Porém, ao meu ver, nosso organismo funciona como uma máquina. Em uma máquina as peças vão se gastando com o uso e com o tempo, precisando de manutenção. Assim, deixo aqui a pergunta: se usamos mais os nossos rins ao consumir proteínas em excesso, será que ele não precisará “de manutenção” se isso for constante (como tem sido entre esses praticantes de musculação)? 

Caso queira utilizar algum suplemento, busque a orientação de um Nutricionista, para fazê-lo de modo seguro e eficiente. E para complementar este post, sugiro a leitura deste texto, que explica bem os reais fatores para ganhar massa muscular. Quais são os fatores para o ganho de massa magra?

 

13/03/2014 at 7:48 pm Deixe um comentário

Iogurte ou Leite Fermentado ?

iogurte

Esta é a definição de iogurte pela legislação brasileira:

“Iogurte, Yogur ou Yoghurt: Entende-se por Iogurte, Yogur ou Yoghurt daqui em diante o produto incluído na definição 2.1. cuja fermentação se realiza com cultivos protosimbióticos de Streptococcus salivarius subsp. thermophilus e Lactobacillus delbrueckii subsp. Bulgaricus, aos quais se podem acompanhar, de forma complementar, outras bactérias ácido-lácticas que, por sua atividade, contribuem para a determinação das características do produto final.”

Assim sendo, só deveria ser chamado de iogurte aqueles que são fermentados por esses tipos específicos de bactérias. Além disso, essa mesma legislação define que o iogurte só pode ser iogurte se os seus ingredientes forem somente ingredientes lácteos (com exceção do amido, que vou abordar logo mais).

Aqueles “iogurtes” compostos de diversos ingredientes (preparado líquido de …) não são iogurtes, são apenas leite fermentado, e um adendo aqui: esses ingredientes não lácteos não devem ultrapassar 30% da composição do produto. Assim, em um rótulo de um suposto iogurte/ leite fermentado onde o primeiro ingrediente listado não é leite, isto não é iogurte nem leite fermentado.

O amido é permitido desde que não ultrapasse 1% de adição. O que coloco aqui é: até onde a indústria é fiscalizada? Podemos confiar? Particularmente, prefiro comprar aquele que não lista amido entre seus ingredientes.

E agora vi que a moda de se consumir proteínas e mais proteínas chegou aos leites fermentados (como expliquei acima não são iogurtes).  Isso é marketing puro, você não precisa de mais proteínas, ao contrário, provavelmente você precisaria diminuir pois os brasileiros já consomem proteínas acima da recomendação. E sabe o que acontece com o excedente de proteínas? Seu corpo vai fazer seus rins e fígados trabalharem em dobro para transformar essa proteína e o que não é utilizado tem grandes chances de virar gordura! (mas isso é assunto para ser abordado em um futuro post)

Novamente, o rótulo (as letras miúdas) é seu maior aliado para ter uma alimentação mais saudável. 

Para saber mais:  Entendendo o rótulo dos alimentos ; A ilusão do zero ; O sódio que você não vê

*Texto de autoria própria. Caso o reproduza por completo ou em partes coloque os créditos e me informe.

28/11/2013 at 5:30 pm Deixe um comentário

O que vc faria para emagrecer?

fita

A cada dia vejo uma novidade para quem quer emagrecer, a última polêmica tinha sido a dieta por sonda (normalmente utilizada para pessoas em risco nutricional no hospital, com prejuízo na ingestão de alimentos, com graves problemas de saúde). Agora, vi a notícia de uma espécie de “atadura” que é colocada na língua da pessoa (pela imagem parece costurada). A pessoa sente dor ao comer alimentos sólidos e então tem que se alimentar de líquidos e emagrece. Além da dor, tem os efeitos colaterais de problemas na fala e no sono.

No hospital, o Nutricionista tem grande dificuldade em equilibrar uma dieta líquida/ pastosa para um paciente que não consegue ingerir sólidos, é necessário usar de suplementos calóricos, de módulos de fibras para que o intestino do paciente funcione, além da preocupação com a perda de peso deste paciente. O Nutricionista trabalha para evoluir esta dieta, ou seja, sair do padrão líquido/ pastoso para os sólidos o mais rápido possível, pois a perda de peso é muito rápida e engana-se quem ache que esta perda de peso seja saudável.

Então, além da dor, do problema para dormir e falar, a atadura na língua ainda poderia trazer problemas sérios para a saúde dessas pessoas. No fim da história, o custo (para a saúde principalmente) desse emagrecimento pode ser muito alto.

Sei que emagrecer não é fácil, a mudança de hábitos alimentares depende de muitos fatores e é um processo longo. Mas pergunto: é mais fácil passar por um processo tão doloroso e prejudicial a saúde? Até onde vc iria para conseguir um resultado rápido?

Pessoas que estão buscando por um milagre para emagrecer, por resultados rápidos são vítimas dos padrões de beleza impostos pela sociedade. Elas ainda não se deram conta de que a perda de peso é importante pelo fato da obesidade ser uma doença, que traz com ela maior risco de parada cardíaca, problemas nas articulações, Diabetes, Hipertensão, entre outras doenças associadas.

Enquanto a obesidade for encarada por muitos somente como um problema estético, os “métodos milagrosos” serão colocados em prática e colocarão em risco ainda maior a saúde das pessoas. Não entendo como estes procedimentos podem ser difundidos por médicos, eles sabem que não existem milagres, não deveriam alimentar essa busca, deveriam conscientizar as pessoas para a doença Obesidade.

Assim, fica aí para a reflexão de quem está querendo perder peso: vc se importa com a sua saúde? Então mude seu estilo de vida, comece mudar aos poucos, mudar o estilo de vida tb não é um milagre, é uma mudança que deve ser colocada em prática aos poucos, até tornar-se parte de sua nova e saudável vida, acredite que este é sim o caminha mais fácil.

*Texto de autoria própria. Caso o reproduza por completo ou em partes coloque os créditos e me informe.

Posts relacionados: “O principal investimento na saúde é alimentar-se bem” e “A mídia e o possível prejuízo a saúde”

11/06/2013 at 4:45 pm Deixe um comentário

Facebook

CURTIR01

 

Para quem ainda não conhece, criei uma página no Facebook e convido a todos a conhece-la, clicando AQUI.

Curta minha página e fique por dentro das últimas notícias sobre #saúde e #nutrição, dicas sobre alimentos, informações importantes para o seu dia a dia, que podem ajudar na mudança de seus hábitos alimentares.

 

 

 

01/06/2013 at 10:59 am Deixe um comentário

A mídia e o possível prejuízo à saúde

medico

Ontem vi uma matéria na TV e pensei o quanto as informações que os canais de comunicação podem acabar prejudicando a saúde, ao invés de ajudar (que seria a intenção inicial).

Falava-se sobre os mitos de alguns alimentos, se era mito ou verdade sobre os benefícios e malefícios de alguns.  Vou me concentrar em apenas um dos alimentos abordados para chegar ao objetivo deste texto. O mito era sobre o ovo fazer mal, quando abordado, citou-se um estudo de Harvard no qual o consumo de 20 ovos por dia não tinha mostrado “nenhum problema” e que, assim, quem gosta de ovo “pode comer a vontade”, que “não tem limites de ovos por dia”. Fico imaginando como as pessoas que assistiram receberam esta informação e que mudanças e consequências isto pode trazer.

Para ilustrar, vamos fazer alguns cálculos em relação aos “20 ovos por dia”. O ovo é um alimento de origem animal, portanto, fonte de proteínas (entre outros nutrientes, mas vou focar apenas nas proteínas para resumir onde quero chegar).  A recomendação de proteínas para um indivíduo adulto saudável é de 0,8 g de proteínas por kg de peso. Exemplo: para uma pessoa que pesa 50 kg, o ideal do consumo diário de proteínas é 40g.  Em 100 g de ovo (equivalente a 2 unidades), temos 13g de proteínas (TACO).  Desta forma, em 20 ovos, temos o equivalente a 130g de proteínas. Se aquela pessoa de 50kg consumir 20 ovos, ela estará consumindo 90 g de proteínas acima do recomendado (isso se considerarmos que ela irá consumir somente ovos o dia todo).

Agora, vamos pensar que nosso organismo trabalha o tempo todo para manter-se em equilíbrio, o que denominamos homeostase. O excesso de proteínas significa um desequilíbrio na homeostase e o organismo terá que trabalhar muito mais para conseguir lidar com esse excedente de proteínas e manter a homeostase. Resumindo: comer quantos ovos quiser pode prejudicar a saúde sim! (e olha que só falei das proteínas).

E por que falei tudo isso? O que tem a ver com meus questionamentos iniciais? Foi apenas uma maneira de ilustrar o quanto poder ser perigoso à saúde quando as informações transmitidas pela mídia não são filtradas/ aprofundadas. Assim, a minha mensagem é: cuidado com as informações que se lê, que se ouve e que são mostradas na TV. Tenha senso crítico, não acredite em tudo como verdade absoluta, mesmo que esta informação venha de Harvard ou de um profissional de saúde super conceituado. Lembre-se que os canais de comunicação possuem espaço/tempo limitados, passam por edições/revisões de outros profissionais que não são especialistas naquele assunto e, assim, as informações podem acabar sendo transmitidas de forma diferente da qual gostaríamos.

Ah, mas então tudo que falam na mídia está errado ou é mentira? Não, não é isto que estou afirmando. O que quero passar é que se tenha bom senso, que seja crítico com informações que lhe soaram duvidosas e procure saber mais, preferencialmente procurando o seu Nutricionista ou Médico. Exemplo prático: se aparece na TV que o alimento “Y” previne câncer, significa que é interessante incluí-lo na sua alimentação e não que você deve consumi-lo  no café-da-manhã, no almoço e no jantar.

Uma boa maneira de filtrar a informação e ser crítico é lembrar-se da homeostase, ou seja, equilíbrio. Excessos nunca fizeram bem (e não me refiro somente aos alimentos).

Uma vida saudável significa saber viver buscando o equilíbrio.

balance

 

*Texto de autoria própria. Caso o reproduza por completo ou em partes coloque os créditos e me informe.

Posts relacionados: “O principal investimento na saúde é alimentar-se bem” e “E até o feirante virou nutricionista”

20/05/2013 at 11:57 am Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Tópicos recentes

Calendário

junho 2017
S T Q Q S S D
« jan    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Acessos

  • 38,966 hits

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.


%d blogueiros gostam disto: